PANORAMA HISTÓRICO
Breve histórico de iniciativas relacionadas com a política cartográfica e a coordenação da Cartografia nacional.

2005-  Elaborado o planejamento estratégico da CONCAR.
2003/2004-  Reativação dos trabalhos da Comissão Nacional de Cartografia (CONCAR).
2001-  Retomada dos trabalhos da Comissão Nacional de Cartografia (CONCAR) com a elaboração de Plano Cartográfico, integrando os planos do IBGE, da DSG, do IGA e da DHN.
2000-  Reativação da CONCAR, no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, pelo Decreto s/n° de 10 de maio de 2000 e pelo Decreto 4.781 de 16 de julho de 2003.
1999-  Com a extinção do Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO), ao qual a CONCAR achava-se vinculada, a comissão foi conseqüentemente desativada.
1994-  Reativação da Comissão Nacional de Cartografia, pelo Decreto s/n° de 21 de junho de 1994, no Ministério do Planejamento e Orçamento (MPO), desta vez denominada CONCAR.
1992-  IBGE elabora normas para levantamento GPS e implanta a Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo (RBMC).
1990-  A reforma administrativa executada pelo governo federal desativou a COCAR e, conseqüentemente, as interações no âmbito do Sistema Cartográfico Nacional.
Início da absorção de novas tecnologias na produção cartográfica nacional por parte dos órgãos integrantes do SCN.
1984-  Instruções Reguladoras das Normas Técnicas da Cartografia Nacional (Decreto n° 89.817).
1978-  Criação do Plano de Dinamização da Cartografia - PDC/78, para intensificar o mapeamento sistemático brasileiro, visando a cobertura plena do território na escala de 1:250.000 e o incremento da cobertura na escala 1:100.000 (nas regiões Centro-Oeste e Nordeste e em parte das regiões Sudeste e Norte), na escala 1:50.000 (nas regiões Sul e parte do Sudeste e Nordeste) e na escala 1:25.000 (em capitais estaduais).
1974-  Presidente da República determina estudos para conclusão do mapeamento topográfico do Brasil no mais curto prazo possível.
1967-  Estabelecimento das diretrizes e bases da Cartografia brasileira pelo Decreto-Lei 243 de 28 de fevereiro de 1967. Criada a Comissão de Cartografia (COCAR).
1962-  Publicação da primeira edição completa do álbum da Carta Internacional ao Milionésimo - CIM (46 folhas na escala 1:1.000.000 que recobrem totalmente o país).
1946-  Estabelecimento de Normas para Uniformização da Cartografia Brasileira (Decreto-Lei 9.210).
1942-  Primeiro levantamento aerofotogramétrico (Trimetrogon) realizado no Brasil, pela Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), entre 1942 e 1943, utilizado pelo IBGE (então CNG) para mapeamento, por compilação, na escala 1:1.000.000.
1938-  O Instituto Nacional de Estatística e o Conselho Nacional de Geografia são incorporados ao Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), com os nomes de Conselho Nacional de Geografia e Conselho Nacional de Estatística.
1937-  Surge o Sindicato Condor, embrião do grupo empresarial brasileiro ligado à atividade cartográfica.
1936-  Instalado o Instituto Nacional de Estatística, que fora criado em 1934, dando início ao processo de fusão das atividades estatísticas e cartográficas no páis, pois o sucesso dos levantamentos estatísticos dependia da existência de documentos cartográficos confiáveis.
1932-  É feita a fusão do Serviço Geográfico Militar, sediado no Rio de Janeiro, e a Comissão da Carta Geral do Brasil, sediada em Porto Alegre, constituindo o novo Serviço Geográfico do Exército.
1920-  A Missão Cartográfica Austríaca contratada pra organizar o Serviço Geográfico do Exército chega ao Brasil, trazendo as técnicas fotogramétricas, de desenho cartográfico e de impressão off-set.
1903-  A Comissão da Carta Geral do Brasil instala-se em Porto Alegre RS, para dar início ao projeto “A Carta do Brasil”, apresentado em 1900 pela 3ª Seção do Estado Maior do Exército, como o primeiro projeto de caráter sistemático para a Cartografia terrestre.
1890-  É criado a Serviço Geográfico, anexo ao Observatório Astronômico do Rio de Janeiro, para a execução de trabalhos geodésicos e geográficos, que teve pouca duração.
1877-  Iniciados, pelo Rio Grande do Sul, os trabalhos da Carta Itinerária, com austríacos contratados pelo imperador Pedro II, que tiveram pouca direção.
1876-  Institucionalizada a repartição Hidrográfica do Ministério da Marinha, atual Diretoria Hidrográfica de Navegação (DHN).
1875-  A Carta do Império resultante do trabalho da Comissão da Carta Geral do Império é apresentada na exposição internacional de Filadélfia, nos Estados Unidos.
1873-  Primeira tentativa de dotar o país de documentos cartográficos terrestres confiáveis, com a Comissão da Carta Geral do Império (extinta em 1874).
1830-  Primeiros trabalhos de Cartográfica Náutica, realizados por iniciativa de entusiastas brasileiros.
1544-  Primeira representação cartográfica com o rio Amazonas (Planisfério de Caboto).
1519-  Primeira representação cartográfica do território brasileiro de forma integrada (Carta Atlântica do Atlas Miller).
1502-  Primeira representação cartográfica do território brasileiro (Planisfério de Cantino).